Ateia

Ateia de atear, ou o estado de espírito arrebatador de onde surge o movimento e a pausa. A partir da perspectiva de uma narradora observadora, uma dança necessária, quiçá inútil, provoca o movimento e dá voz aos corpos: o presente, os que já passaram e os que estão por vir. Toda a dança está a favor da vida e nenhuma dança é triste. Face à desordem continuada da vida, a transformação do quotidiano em beleza ou sentido.